Corte joãozinho? Cabelo curto feminino | Nanda Cury : Nanda Cury

adv730

adv730

Corte joãozinho? Cabelo curto feminino

Nanda Cury

Criou o Blog das Cabeludas, Crespas e Cacheadas (2008) e é uma das idealizadoras da Marcha do Orgulho Crespo (2015). Ambas iniciativas tem objetivo de empoderar mulheres a aceitarem seu cabelo natural. É bacharel em Relações Internacionais, Vegana e especialista em Marketing Digital.

29 de março de 2016

O corte de cabelo curto feminino é popularmente conhecido como “joãozinho” no Brasil. Mas pergunto: de onde surgiu a ideia que cabelo curto é algo masculino e que mulheres com cabelo longo são mais femininas?

Inspiração para o Big Chop!

Na tentativa de responder a essas perguntas, pesquisei tudo sobre o “cabelo joãozinho” na internet, para tentar desvendar como o corte de cabelo curto feminino ficou conhecido dessa forma.
O máximo consegui descobrir foi que o corte super curto surgiu no país nos anos 20

crespo-anos-20

e se popularizou nos anos 60/70, com a ascensão do movimento black power, em prol dos direitos civis.

 

 

Ao analisar os textos com um olhar mais crítico, percebi que em todas as matérias sobre o cabelo “joãozinho”, que voltou a se popularizar a partir dos anos 2000, havia alguma frase para associar o cabelo longo a feminilidade através de frases como  “homens preferem cabelos longos”.

Rihanna cabelo curto

 

Apesar de essa não ser uma constatação com respaldo científico, trata-se de mais um item incluído na lista de pré-requisitos para que as mulheres sejam consideradas belas na sociedade: cabelo longo, loiro e liso, pele clara e magreza, mas não muita “porque os homens gostam de curvas” – são alguns itens dessa lista.

cabelo loiro

O grande problema é que em todas as matérias que li, a beleza da mulher é sempre definida a partir do olhar do outro, masculino, como se as mulheres fossem meros objetos e enfeites e sua existência estivesse resumida a ser bonita e agradável ao olhar da sociedade.

O lado positivo é que as matérias também destacam que mulheres que optam pelo corte curtíssimo são consideradas ousadas, independentes, de atitude e personalidade e que elas não se importam em chamar atenção, nem ligam para a opinião dos outros.

Cabelo crespo curto e rosa!

Desde que comecei a me interessar pelo feminismo, adotei uma postura mais crítica e atenta ao discurso das pessoas, das marcas e da mídia. Depois que a gente apura essa percepção não tem volta: você percebe que o machismo está em tudo e passa a questionar frases generalistas e rasas como “homens preferem cabelos longos” e inevitavelmente começa a substituir termos como “cabelo Joãozinho” por cabelo curtíssimo ou super curto, que inclusive é muito mais elegante.

 

lupita
Outra vantagem que o empoderamento pessoal traz é que você se liberta da necessidade de ter sua aparência validade por outra pessoa. E quanto menos você se importa com a opinião alheia, mais livre e feliz você se sente. Ignore as críticas à sua aparência e evite pessoas tóxicas, que estão sempre criticando a aparência dos outros, elas provavelmente sofrem com uma insegurança tremenda. O importante é que você se sinta bem. O resto é recalque.

 

curto-rosa2

adv160

adv160

Pinterest

Top