Ibeyi fala sobre seu cabelo e música. Sinta! | Nanda Cury : Nanda Cury

adv730

adv730

Ibeyi fala sobre seu cabelo e música. Sinta!

Nanda Cury

Criou o Blog das Cabeludas, Crespas e Cacheadas (2008) e é uma das idealizadoras da Marcha do Orgulho Crespo (2015). Ambas iniciativas tem objetivo de empoderar mulheres a aceitarem seu cabelo natural. É bacharel em Relações Internacionais, Vegana e especialista em Marketing Digital.

26 de abril de 2017

Minha experiência com o concerto do Ibeyi em São Paulo foi tão intensa que só agora eu possa partilhar contigo quão surpreendente é sua arte. Confira a entrevista e a minha opinião sobre a arte desta dupla maravilhosa. A primeira vez que vi Ibeyi estava no vídeo “A mamã diz”. Foi recomendado por um amigo que sabe tudo sobre a incrível de artistas emergentes. O videoclipe mostra como perder um ente querido pode desestabilizar uma família. Há cenas de tristeza e solidão e também do apoio que os ajude a lutar e superar esses eventos. No vídeo, a delicada relação entre os gêmeos e sua mãe aparece reforçada, para que eles podem passar por um momento de dor e perda juntos. Icried juntamente com eles. Faz tanto tempo que eu foi impactado profundamente. Eu acredito que há uma conexão sagrada entre irmãs. Assim que conheci Ibeyi corri para mostrar-lhes a minha irmã e eu disse a ela que nós deveria cantar juntos, desde que nós cresceu rodeados por música e que nós sempre apreciamos nosso combinado, harmonizar as vozes e que nós são harmonizados também. Faz algum tempo que tenho o privilégio de trabalhar com ela, ela é um fotógrafo muito sensível e extremamente talento. E porque eu precisava de fotos grandes de Ibeyi para este artigo, nós fomos vê-los a viver. Eu tenho um presente deste trabalho, que está trazendo de volta a sensação de alcançar todos os nossos projetos juntos. [Legenda id = “attachment_2397” align = “alignleft” width = “Desempenho do Ibeyi em Audioclub, São Paulo, 2016. Foto por @carol.cury700″] IBEYI Audio Club, São Paulo. Foto por Carolina Cury [/ caption] eu estava tão animado depois de seu show que eu acordei às 06:00 na manhã seguinte, apenas para escrever sobre a experiência. Quando eles entraram no palco… senti que a noite ia ser especial. Ouvindo e assistindo a Lisa-Kaindé e Naomi Diaz dando tudo para a música e sentir a sinergia entre eles foi um dos momentos artísticos mais incríveis que eu já experimentei. Foi a lindas ver pessoas com reação e comoção na plateia também. Todo mundo estava cantando junto com eles e eles pareciam sentir a magia que estava acontecendo no palco também. Era como se a música tinha o poder de profundamente conectar todo mundo que estava lá. [Legenda id = “attachment_2385” align = “alignleft” width = “70Ibeyi-AudioClub-Foto-Carol-Cury-Blog-das-Cabeludas-Nanda-Cury (42)0″] O público ficando louca no concerto do Ibeyi, em São Paulo. Foto: @carol.cury[/caption] [Legenda id = “attachment_2392” align = “alignleft” width = “70Lisa-Kaindé recebe uma guia de presente de um fã durante o show da Ibeyi, at clube de Áudio. Foto: Carolina Cury0″] Lisa-Kaindé receber um colar de presente de um @secoemolhado. Foto: @carol.cury[/caption] depois de assistir seu show, eu tive a honra de entrevistar a dupla para meus Blog das Cabeludas e tive a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre sua “música espiritual negra contemporânea”, um termo criado pelas irmãs Franco-cubano para descrever sua arte. Era forte e eu precisava os dias passar para que eu estava finalmente pronto para escrever sobre a nossa conversa. Já ouviu falar de Ibeyi? [Legenda id = “attachment_2621” align = “alignleft” width = “7Lisa-Kaindé e Naomi Diaz, IBEYI. Foto: @carol.cury00″] Lisa-Kaindé e Naomi Diaz, Ibeyi. Foto: @carol.cury[/caption] sua mãe é Maya Dagnino, cantor venezuelano e gerente da dupla, e seu pai, Anga Diaz, foi um dos percussionistas mais famosos do mundo. As garotas falam uns aos outros na maioria das vezes em francês, mas também falam espanhol e inglês, assim como eles cantam em iorubá, uma língua falada em vários países africanos. Naomi e Lisa são as filhas de Yemanjá e Oxum e eles tomaram um pouco da beleza e diversidade do seu background multicultural para sua turnê mundial, uma jornada de dois anos através de todos os continentes. Eles também participaram no álbum de visual de Beyoncé limonada. Ibeyi ter viajado a vários países para executar as músicas do primeiro álbum. Seus dois shows finais para esta turnê mundial ocorreram no Brasil, em São Paulo (Audio Club) e Rio de Janeiro (Circo Voador). Nós falamos sobre o nosso património comum e multiétnico, padrões de beleza, representatividade e como o cabelo natural reflete sobre sua identidade. Nosso encontro, no hotel onde eles estavam hospedados, foi a última entrevista do dia, depois de uma tarde muito ocupado a falar com a imprensa brasileira. Foi particularmente difícil fazer-lhes perguntas que não eram óbvias, porque eu sou realmente um fã de Ibeyi e não queria aborrecê-los perguntando as mesmas velhas perguntas que todo mundo pede. Claro que tudo foi diferente do que eu planejei e quando estávamos cara a cara estava tão nervoso que eu não poderia mesmo começar a gravar nossa conversa corretamente com meu celular. x) Confira os melhores momentos da nossa conversa. Espero que gostem! ☺ Me: “Você parece mais jovem” juntos: “todo mundo diz isso! Naomi: “e parece pequeno.” Depende do dia. Talvez amanhã eu vamos olhar mais velhos. Lisa: Também não usamos contorno ou coisas que fazem parecer mais velha. Naomi: Às vezes, há dias, que eu sei que pareço mais velho. Lisa: E também as pessoas imaginam-nos e quando eles nos encontram, então eles são como “Ah, mais jovem do que o que eu imaginei” Me: Talvez seja porque no palco parece enorme, ele pode estar relacionado com o desempenho. Ambos: Sim. Me: Então, como é que ele se sente jogando no Brasil? A experiência, a audiência? Naomi: O público é incrível! Tivemos que nos Estados Unidos. Adoramos quando as pessoas gritar e cantar todo o tempo!

Lisa: Foi incrível! Estávamos esperando, mas não muito porque nos disseram “você sabe, em São Paulo eles não cantam como no Rio, eles vão ser um pouco mais tímido, mas não se preocupe… e eles não eram tímidos ontem!!!! Naomi: Eles velho nos Rio é mais do que isso, e nós éramos como: Wow! pode ser mais do que isso? Foi incrível! Me: Quantos países você já jogou nesta excursão? Naomi: Todo o mundo. Nós fomos para Austrália, Japão, toda em torno de Europa… a Lisa dos EUA: todo os EUA… Naomi: Cinco vezes nos Estados Unidos! Lisa: da América Latina, toda em torno de Europa, nós não fizemos, Suécia e Noruega. Não fizemos na Rússia… Naomi: E na Ásia, nós só Japão. Mas nós fizemos todos os continentes! Lisa: Viajamos. Me: Wow, isso é muito! Você está animado para ir para o Rio? Lisa: Sim, é um prazer vir ao Brasil porque sentimos que temos uma história tão comum e cultura e fundo e ancestrais que nos sentimos um pouco em casa. Naomi: Aqui você tem prédios e coisas que parece que às vezes a Barcelona e Cuba. Mas as pessoas são como cubano. Saí na primeira noite que chegamos aqui e as pessoas vestiam-se para fora como cubanas meninas realmente curto roupas e tacone (salto alto). Nos sentimos em casa. E agora ele está crescendo e o meu é encaracolado agora.

Lisa-Kaindé e Nanda Cury. Foto: Carolina Cury IBEYI-Foto-Carolina-Cury-Blog-das-Cabeludas (3)

Tivemos a honra de entrevistar as gêmeas @ibeyi2 ❤️🎼 @oeil_l.k @naomidiazibeyi A post shared by Blog das Cabeludas 😱❤️ (@blogdascabeludas) on

It started raining and our time was over. They were going to a shop. If I was given 3 wishes they would be: going shopping with them, watching them again in Rio, in the day after, and asking them to sing for us. 😉 Check out more photos from the interview and also the natural hair girls that we’ve met at Ibeyi’s concert:

Many Thanks to: Ibeyi, Maya Dagnino, Audio Club, Rafael Hysper, Carolina Cury, Pedro Nicolas, Ana Camargo, Simone Gerson, Mariana Lemos

adv160

adv160

Pinterest

Top